segunda-feira, 20 de agosto de 2012

. Equívoco .

Por mais que estejamos juntos sinto como se fossemos dois estranhos.
Me prendo em seu olhar, mas é como se não olhasse para mim.
Algumas de suas palavras me ferem como um punhal cravado, direto no peito, rumo ao coração.
Suas ações não justificam o pesar das palavras.
Eu quero que o meu Leãozinho seja mais amável,
Quero que ele goste de mim de verdade
E que seja sincero com seus sentimentos.
Há quase nove meses juntos e ainda tenho medo de dizer “Eu te adoro!”, muito menos um “Eu te amo!”
Mesmo que pela primeira ou segunda vez seja real.
Muitas vezes sinto uma vontade desesperadora de chorar,
Chorar e nunca mais sair do quarto ou ver a luz do dia,
Pois, o que me dizes, tantas vezes insignificante para você,
É o que me faz pensar duas vezes antes de acreditar novamente no brilho dos seus olhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário