Pular para o conteúdo principal

. Ser…Humano .

“Someday I’ll fly. Someday I’ll soar.” Engraçado como as pessoas entram e saem de nossas vidas com um simples prefixo, um dia são amigos, no outro, inimigos. Quem de menos se espera te dá um ombro acolhedor, quem de mais se espera, oferece-lhe um punhal. Para que confiar nos seres humanos? Como a própria biologia diz, somos animais. Uma espécie em extinção, pelo menos os bons animais. Socialmente ser um bom indivíduo é cumprir com seus direitos e deveres seguidos de seus desejos. Mas é uma pena, ninguém faz isso. Às vezes penso se o Homo é realmente Sapien. Nós, humanos, somos considerados intelectualmente superiores por termos encontrado um método de comunicação. Então isso quer dizer que se não ‘falássemos’, seríamos como qualquer outro animal? Stupid mouth. O irritante é saber que tal descoberta é usada para insultar, maltratar e prejudicar seus companheiros de espécie. Em pleno século XXI o que acontece no mundo? Aonde quer que seja, a principal paisagem é de penúria. Desculpem-me mas, ainda, há quem se importe. Se você é do tipo que não dá a mínima para as pessoas, nem precisa, basta olhar para si, são raros aqueles que não sentem pena de si mesmos. E tudo isso porque não conseguem erguer a cabeça e tentar de novo. Tudo é motivo de lamentação, se tem ou não, seja lá o que for, se desesperam e entram em depressão, o que em vez de ajudar só traz mais problemas. O egoísmo e o egocêntrismo são tão fortes, atualmente, quanto qualquer outro sentimento narcisista, as pessoas que amamos estão ao nosso lado, normalmente queremos que elas vivam por nós e quando as perdemos queremos que elas vivam para nós. Mas para que uma pessoa se perca de nossas vidas não é necessária a morte, basta uma desilusão, uma mentira, a cada segundo acontece uma reviravolta, como diria o grande mestre Cartola, “o mundo é um moinho”, o mundo sopra as nossas vidas, basta sabermos a hora de dar linha, assim irei , “um dia voar, um dia me elevar”!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

D's

Dos viados adultos. Dos túneis, das pontes. As pontes aéreas.
Do carro, da carroça, a aeronave.  Do mar, o cerrado.
Da cor a cura. Da sombra a loucura. A paz, de neve, da pá na terra.
A sorte do dragão, do leão ao colchão, o tesão.  Do amor o riso.
Da graça sem graça. O bobo palhaço. De cara amassada. A vida armada, arreganhada, atropelada, arregaçada.
Furada.

. Real .

Volto a sentir a vida da maneira que me foi determinada. Mais uma vez sou vítima da intensidade. Ou talvez eu seja a única causa dela? O vazio toma conta do meu ser, E mais uma vez estou sozinha. Todo esse mix de sentimentos, Vazio, solidão, tristeza, saudade, Me é tão comum Que ainda não entendo o por quê De me surpreender. Tenho amor, Apenas falta de amor próprio. Pelo mundo daria minha vida, O desgosto é chegar a esse ponto e Descobrir que ninguém vale essa vida. Porque é minha, De mais ninguém. Se minha é, Amar-me-ei. Pois no fim Sempre digo a mim, Ninguém nunca te amará Como eu te amei.