Pular para o conteúdo principal

. Vamos Viver .

Em nenhum lugar é possível encontrar a sociedade perfeita nem, precisamente, o mundo perfeito. Quantos mundos mais existirão? Será que há de haver mais algum? “Somos quem podemos ser, sonhos que podemos ter”, já dizia Humberto Gessinger.
E nós o que diremos aos nossos descendentes quando nos perguntarem quem fomos, ou talvez, o que fizemos pelo nosso mundo? Teremos a cara de pau de olhar dentro de seus olhos e dizer: -Não fomos e não somos ninguém, pois nada fizemos àqueles que de nós precisaram.
Ao darmos tal resposta não nos referiremos apenas às pessoas, mas sim a todo e qualquer ser vivo existente nesse planeta. Mas cuidemos de falar apenas de nós, seres humanos. Ao contrário do que muitos pensam, ajudar o próximo não é sacrificante, pelo contrário, é muito gratificante. Cada sorriso estampado em um rosto amigo é a tradução de bons sentimentos, os quais nos transbordam no peito.
Quando se trata de violência nas ruas, todos sabem julgar, até nós que apenas havemos de pensar. Será que ninguém percebe que, essa, culpa nossa seria? Ela só existe porque nós, homens, a criamos e muito bem criada, tão bem que agora faz papel de mal-criada. Não só a violência e a falta de caridade são problemas sociais, como também todo e qualquer tipo de egoísmo que venhamos a ter.
Ao fazermos apenas a nossa parte na sociedade, a qual não necessita palavras bonitas nem gestos grandiosos, sermos apenas bons, vivendo nossas vidas e, principalmente, cuidando do que é nosso, teremos um mundo conservado, tanto socialmente como espiritualmente, pois, as pessoas estando com o espírito ‘limpo’, nossas vidas limpas viveremos e ecologicamente corretas, claro!
Sim, agora vamos nos dirigir a natureza, tão bela, sem ela o que seríamos? Nada, isso é certo, dela viemos e dela dependemos, vamos parar de jogar lixo nas ruas, parar com os desmatamentos, incentivar ONGs (organizações não governamentais), correr atrás do prejuízo.Quando a natureza está bem, quando os animais estão bem, quando nós, seres humanos dotados de tamanha inteligência e virtudes em geral, estamos bem, não há porque o mundo estar mal.
Vamos viver, viver como diz a música de Hebert Vianna, ‘Vamos consertar o mundo, vamos começar lavando os pratos’.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

D's

Dos viados adultos. Dos túneis, das pontes. As pontes aéreas.
Do carro, da carroça, a aeronave.  Do mar, o cerrado.
Da cor a cura. Da sombra a loucura. A paz, de neve, da pá na terra.
A sorte do dragão, do leão ao colchão, o tesão.  Do amor o riso.
Da graça sem graça. O bobo palhaço. De cara amassada. A vida armada, arreganhada, atropelada, arregaçada.
Furada.

Donde jugarán los niños?

Uma banda mexicana chamada Maná, há poucos anos, lançou uma música chamada “Donde jugaran los niños?”, em que o tema refere-se a inocência que não existe mais. As crianças para construírem sua personalidade, se inspiram em exemplos próximos como a família, amigos da escola e figuras criadas, constantemente pela mídia, chamadas ‘heróis’. Se essas criações realmente existem não se sabe, mas elas estão em todos os lugares, a qualquer momento. Ao lermos os quadrinhos do tempo de nossos pais, observamos que os heróis são aqueles os quais utilizam cuecas por cima das calças, aqueles com superpoderes e amor à humanidade. Enquanto os pequeninos da década de 1970 preocupavam-se em brincar de voar, pulando das árvores no fundo do quintal de casa, os do século XXI continuam a voar, mas sem trabalhar a mente ou os músculos, assistindo fúteis heróis que se transformam em super máquinas ou jogando video games, trancados no 27º andar de um belo arranha céu espelhado no centro de uma metrópole. O que ess…

. Lembre .

Não se esqueça Quando beijá-la, O seu verdadeiro amor Não estará nos braços De quem lhe alcança, Mas sim Na lágrima da lembrança Daquela que não és capaz de tocar.