Pular para o conteúdo principal

Escolher o nome para um blog pessoal não é nada fácil, principalmente quando este trata-se de momentos tão meus, que serão divididos agora com meus leitores.Sattagydia era uma província pertencente ao Império Persa Aquemenida, foi conquistada no século VI antes de Cristo, por Ciro II, no período helenístico, hoje se localizaria no atual Afeganistão.

E o que isso tem a ver comigo? Aparentemente nada. Após séculos de guerras e calmaria, um homem chamado Hanna Youssef Badaüí Bittar foge de sua terra natal para salvar sua família da Primeira Guerra Mundial.

Passando pela França e Espanha, chega a Portugal onde se naturaliza lusitano e ‘traduz’ seu nome para João José da Silva, em tempos difíceis mais uma viagem faz, desta vez para o Brasil, onde fica até sua morte. Esse era o meu bisavô. Daí vem o meu vínculo com a tal Sattagydia.

Esse não é apenas um nome qualquer, e sim a lembrança de dor e sofrimento, mas como nem tudo é tão triste, em decorrencia de tais acontecimentos me interessei por história, em consequência de tal descobri o gosto pela leitura, logo depois pela escrita. E aqui estou.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

D's

Dos viados adultos. Dos túneis, das pontes. As pontes aéreas.
Do carro, da carroça, a aeronave.  Do mar, o cerrado.
Da cor a cura. Da sombra a loucura. A paz, de neve, da pá na terra.
A sorte do dragão, do leão ao colchão, o tesão.  Do amor o riso.
Da graça sem graça. O bobo palhaço. De cara amassada. A vida armada, arreganhada, atropelada, arregaçada.
Furada.

Donde jugarán los niños?

Uma banda mexicana chamada Maná, há poucos anos, lançou uma música chamada “Donde jugaran los niños?”, em que o tema refere-se a inocência que não existe mais. As crianças para construírem sua personalidade, se inspiram em exemplos próximos como a família, amigos da escola e figuras criadas, constantemente pela mídia, chamadas ‘heróis’. Se essas criações realmente existem não se sabe, mas elas estão em todos os lugares, a qualquer momento. Ao lermos os quadrinhos do tempo de nossos pais, observamos que os heróis são aqueles os quais utilizam cuecas por cima das calças, aqueles com superpoderes e amor à humanidade. Enquanto os pequeninos da década de 1970 preocupavam-se em brincar de voar, pulando das árvores no fundo do quintal de casa, os do século XXI continuam a voar, mas sem trabalhar a mente ou os músculos, assistindo fúteis heróis que se transformam em super máquinas ou jogando video games, trancados no 27º andar de um belo arranha céu espelhado no centro de uma metrópole. O que ess…

. Lembre .

Não se esqueça Quando beijá-la, O seu verdadeiro amor Não estará nos braços De quem lhe alcança, Mas sim Na lágrima da lembrança Daquela que não és capaz de tocar.